segunda-feira, 24 de julho de 2017

Contos, fábulas e lendas de Dout

Saudações aos, espero, pacientes leitores,

Abaixo os senhores poderão ler uma pequena introdução sobre Dout (o mundo onde os contos, fábulas e lendas ocorrem), sobre os gu´un (os seres viventes dotados de intelecto capaz de dar-lhes a verdadeira condição de, mais que sobreviver, viver verdadeiramente) e sobre os vários continentes e lugares onde este escritor, sem ter a pretensão de ser brilhante, pretende dar vida a uma série de fábulas, contos e lendas.

O nome da obra que pretendo construir, e espero críticas e ideias é "Contos, fábulas e lendas de Dout" e serve como conteúdo base para outras histórias mais complexas em forma de crônicas que venho trabalhando há alguns anos e futuramente poderá ser disponibilizada aqui neste espaço.

A ideia é lançar, a partir do próximo domingo (30/07/2017) quinzenalmente cada conto, fábula ou lenda em pequenas partes, até que se completem. Estas linhas pretendem escrever a vida como ela é, como ela poderia ser e como ela é imaginada por quem as conta, de forma a estar conectada com o que é, com o que poderia ser e com o que se imagina da vida aqui em nossa querida Terra.

Agora, sem mais delongas, a introdução de:

"Contos, fábulas e lendas de Dout"

Introdução


         Dout, um mundo distante, repleto de seres viventes que nas muitas planícies verdes e férteis, nos milhares de colinas serrilhadas, nas gigantescas montanhas que arranham os céus, nas densas florestas que trazem vida e morte, nos mais húmidos e mais secos lugares, tentam vencer os desafios da natureza. É nesse mundo, de continentes ao mesmo tempo ligados diretamente por terra e separados por acidentes geográficos e regiões desérticas quase intransponíveis que os gu´un fazem a História.
       
          Os gu´un, seres que, como os outros, no desejo de sobreviver, acabam criando as condições para verdadeiramente viver. Dotados das mais altas capacidades intelectuais de Dout, fazem de sua História a missão de buscar no mundo a concretização da vida. A vida só pode ser concreta quando se é livre. A liberdade só pode ser concreta quando se é consciente.
       
          Consciência, essa é a luz que guia os gu´un em Dout. Luz que não é única. E por não ser única, é a luz que também traz a discórdia. Da discórdia surgem as histórias e a História. Discórdia, mola mestra da colonização dos continentes de Dout pelos gu´un.
       
           Nos continentes diferentes formas de consciências. Diferentes histórias. De Kaatávia, terra natal da cultura gu´un, a busca pela ampliação da consciência e pela concretização da vida e da liberdade revelou a existência dos Ochmiud, de Suávia e os Oleoromun, de Ositávia os Obung, o grande e terrível deserto de Balin, os sábios de Norávia, e as terras livres no Sul de Ostrávia.

           Os gu´un criaram e destruíram muitas coisas, assim como criaram, recriaram, abandonaram e readotaram muitos conceitos “eternos” sobre o mundo. Os opostos sempre deram e sempre darão sentido um ao outro. Assim é a História de forma concreta e essa é a lógica que norteia toda a poesia e a prosa dos contos, fábulas e lendas dos gu´un, pois para eles a vida é certamente ciclo tridimensional rumo ao infinito.




Nenhum comentário:

Postar um comentário